Seu leitor é mais importante que você

Seu leitor é mais importante que você

Você sabe quem é seu leitor? É preciso ter uma ideia exata de quem é o seu público. Só assim você o alcançará.

Escreva para ele e não para si mesmo. Quer escrever para si mesmo sem se importar com os outros? Então escreva um diário, assim, não haverá expectativas frustradas no futuro.

Se você não sabe quem é o leitor ideal para seu livro, pare tudo. Há algo importante e urgente a ser resolvido aqui. Pois nenhum livro é capaz de atingir todos os públicos. Se ele tenta atingir todo mundo, muito certamente não impactará ninguém e, consequentemente, não será lido.

Como descobrir o leitor ideal?

Para descobrir quem é seu leitor ideal, pesquise. Essa pessoa gosta de quê? Quais problemas ela precisa ou quer resolver, mas não sabe como? Ela tem urgência nessa resolução? Seu livro é capaz de resolver esses dilemas?

Se você pretende escrever um livro de ficção, entenda como “problema” uma predileção do seu leitor ideal sobre os temas abordados na sua história e se eles são bem amarrados e interessantes a ponto de serem capazes de entretê-lo por alguns dias.

Seu público-alvo

Imaginemos o seguinte: a pessoa que vai ler o seu livro é uma mulher e está interessada em história do Brasil, particularmente sobre Rio de Janeiro, cidade onde mora. Ela já assistiu a um documentário sobre a “Cidade Maravilhosa” na TV a cabo, leu um ou dois artigos na internet e se interessa pela sociedade de uma determinada época. Ela está para fazer uma viagem à Europa e adoraria ler uma ficção romântica no tempo ocioso passado no aeroporto. Ela passará também mais doze horas dentro do avião e sabe que ficará entediada. O que ela pode fazer? Ela vai até a livraria do aeroporto e compra um livro que possa entretê-la nesse período de viagem.

Ficou claro agora? A partir dessas premissas, construa sua história, exatamente para suprir o desejo dessa potencial leitora.

Se o leitor tem um problema e tem urgência nisso, você precisa ter um livro que o leve à solução. Que ele consiga percorrer do ponto A para o ponto B com tranquilidade e satisfação. No exemplo acima, a leitora quer uma boa leitura para que o seu tempo passe da forma mais prazerosa possível. Se você está no radar dela nesse momento, suas chances de ter seu livro adquirido por ela aumentam muito.

Lembre-se, seu livro não é o objetivo final. Seu livro deve ser encarado como um meio para se chegar a um objetivo maior, seja ele conhecimento ou simples entretenimento. Se o leitor puder chegar na solução sem precisar ler sua obra, não comprará seu livro. Simples assim.

Por isso, sempre se pergunte: por que alguém compraria o meu livro? O que ele tem a oferecer para meus leitores?

Respondendo a estas perguntas, você não só conseguirá desenvolver um roteiro de escrita interessante como ainda terá um texto de vendas para usar na divulgação de sua obra.

Desejo-lhe sucesso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima