Formato do seu livro

Escolha o formato do seu livro

O texto do seu livro está pronto e revisado e agora você deseja ardentemente publicá-lo? Ótimo! O próximo passo é escolher o formato, definindo que medidas e especificações serão adotadas por quem fará a diagramação do seu material.

Veja neste artigo algumas orientações importantes e básicas para que você dê mais um passo em direção à realização do sonho de ter seu livro nas mãos de muitos leitores.

Tipos de encadernação

Antes de qualquer coisa, é preciso explicar que há vários métodos e tipos de encadernação e cada um deles serve para uma aplicação e finalidade específicas. Veja a seguir alguns exemplos desses formatos que influenciam diretamente a diagramação.

Formato Canoa ou Dobra/Grampo

O método canoa de encadernação consiste em grampear as folhas, sendo utilizado principalmente em revistas. Nesse tipo de encadernação, o miolo se prende à capa por meio de grampos. Não é indicado para publicações com muitas páginas, nem para papéis de alta gramatura, pois a dobra de grandes e grossos volumes prejudica o acabamento. Para materiais com até 64 páginas são usados dois grampos.

Brochura

É o formato mais comum, com a lombada quadrada.

Nesse tipo de encadernação, o conjunto de folhas, também chamado de miolo, é prensado em blocos e costurado ou colado com tela. Atualmente as gráficas têm optado pelo método de colagem com materiais adesivos como Hot Melt ou PUR, que são extremamente eficazes e de baixo custo.

Espiral

Essa encadernação é feita com um arame plastificado em espiral aplicado em páginas perfuradas. Neste método não há limite para quantidade de folhas. É largamente usado para a produção de apostilas.

Wire-o

Essa encadernação é uma forma evoluída do tipo espiral, mas usando um arame metálico sofisticado, e os furos são quadrados. Permite o uso de capa dura, deixando o material mais resistente e profissional.

Capa dura

Geralmente, este tipo de encadernação é adotado para a publicação de livros de arte, comemorativos e outros materiais que requerem acabamento nobre.

Digital

Não é um tipo de encadernação, mas um método de publicação atualmente muito usado.

O conteúdo diagramado em formato PDF ou e-Pub serve para leitura em computadores ou dispositivos móveis.

Esse método guarda muitas vantagens sobre os demais. Em primeiro lugar, porque não requer gastos com impressão. Não há limites quantitativos e geográficos para a distribuição do conteúdo finalizado e o material pode ser revisado e atualizado mais facilmente. Além disso, ele pode ser disponibilizado em várias plataformas digitais pelo mundo todo.

Quais tamanhos mais usados?

Na hora de escolher o melhor formato para um livro, deve-se considerar o volume de texto a ser publicado. Livros com um elevado número de páginas devem optar pelas medidas maiores (por exemplo: 16 x 23 cm). Já conteúdos que não atingem pelo menos 100 páginas devem adotar formatos menores. Às vezes, até o tipo e gramatura do papel (relação entre peso do papel e seu volume) entram nessa equação. A gráfica de sua escolha ou o designer contratado para diagramar seu livro pode ajudá-lo nessa decisão.

Veja abaixo os formatos mais comuns:

  • 110 x 180 mm — No Brasil, este tamanho, durante muito tempo, foi mal visto por puro preconceito, até que a L&PM Editores o popularizou e deu novo valor a esse formato no país. O livro “pocket” tem suas vantagens, não só para o transporte em bolsos e pequenas bolsas, como também a facilidade de leitura, sendo possível segurar o livro aberto com apenas uma das mãos. O custo menor de impressão é outro atrativo.
  • 140 x 210 mm ou 160 x 230 mm — Estes dois formatos são os mais comuns para livros de ficção e de não-ficção. Cerca de 90% dos livros publicados adotam um desses formatos, sendo que o de medidas 16 x 23 cm tem ligeira vantagem.
  • 210 x 280 mm ou 245 x 300 mm — São formatos ideais para livros com muitas imagens ou gráficos e diagramas mais técnicos. Em formatos menores, essas imagens ficariam com a visualização prejudicada. Por isso são usados para livros didáticos, livros de arte, arquitetura etc.
  • Por fim, temos o formato 200 x 200 mm, muito usado — mas, não exclusivamente — para livros infantis de diversas faixas etárias.

Tipos de papel

  • Offset – É o papel mais usado no mercado editorial. De textura lisa, opacidade fosca e coloração totalmente branca nos dois lados, este papel tem a melhor absorção de tinta em comparação aos outros tipos. Apresenta uma grande variedade de gramaturas, indo de 56g/m² a 240g/m².
  • Pólen – Este papel nobre amarelado oferece maior conforto para o leitor. Possui gramaturas entre 70g/m² e 90g/m² e pode ser dividido em pólen soft e pólen bold. O primeiro é mais fino, enquanto o segundo conta com opacidade e espessura elevada. Além disso, seu uso torna a obra mais sofisticada e ecológica, justamente pela ausência de ácido.
  • Reciclado – Papel mais grosso, tradicionalmente adotado por autores que se preocupam com o meio ambiente e com as gerações futuras.
  • Couché – É usado em publicações que requerem sofisticação. Pode ter revestimento fosco ou com brilho, contribuindo para o realce das cores nas imagens. Apresenta grande abrangência em gramaturas, permitindo-lhe, inclusive, ser usado na produção das capas dos livros, uma vez que pode alcançar a gramatura de 350g/m².
  • Supremo ou Triplex – Já que falamos no item anterior sobre capas, estes dois tipos são muito utilizados para este fim, sendo muito resistentes e alcançando gramaturas elevadas como 250 a 350 g/m².

    Quer saber mais sobre criação de capas de livros, clique aqui.

Conclusão

O papel é um dos elementos cruciais na qualidade do livro, seja nas páginas ou na capa. Por isso, na hora de entregar seu livro para um profissional que fará a diagramação ou para uma editora que cuidará da publicação da sua obra, considere as informações dadas acima. Leve em conta o seu bolso e o conforto do seu público.

Detalhe: por muito tempo, imprimir livros era um risco, principalmente para novos autores, pois havia a possibilidade de encalhe. Para diminuir custos as gráficas precisavam imprimir uma quantidade elevada de exemplares. Atualmente, com a criação de bureaus digitais, isso não é mais problema. Hoje em dia é possível imprimir sob demanda. Existem diversas empresas que já adotam esse sistema. Em breve escreverei aqui dando dicas sobre isso.

Leia também os artigos 10 Dicas para Publicar um Livro e É muito caro publicar um livro?.

Siga-me no Instagram e conheça um pouco mais sobre meu trabalho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima