8 dicas para publicar um livro

10 dicas para publicar um livro

Publicar um livro é o sonho de muita gente. Mas não basta simplesmente escrever um texto, seja ele de ficção ou não, e levá-lo a uma editora ou, por conta própria, mandá-lo para uma gráfica. Depois que seu texto está pronto, há muito mais a fazer para que este sonho se torne realidade.

Neste artigo pretendo mostrar alguns passos fundamentais para que você consiga atingir um grande público e venha a se tornar um escritor de sucesso.

Porém, antes de qualquer coisa é importante eu lhe dizer: não espere concluir o texto do seu livro para começar a fazer o que aqui é recomendado. Leia com atenção, siga as instruções e evite ter um monte de livros não vendidos empoeirando na sua casa.

Dica nº 1 – Confie seu texto a um revisor

Por mais que saibamos escrever bem, nossos olhos ficam cansados e viciados e, frequentemente, deixamos passar despercebidos erros grassos que um bom revisor notará e corrigirá.

Cabe ao profissional denominado copy editor (que faz o copidesque) fazer as correções ortográficas e gramaticais do seu texto, adequando-o às normas editoriais. Outro profissional denominado revisor cuidará para que seu texto tenha estilo, clareza, coerência e fluidez.

Antes de entregar seu livro para um editor avaliá-lo, passe-o pelas mãos de profissionais competentes que vão fazer os devidos ajustes.

Dica nº 2 – Seu livro é obra de várias mãos

Você é o(a) escritor(a), e seu livro é como um filho que está em gestação. Assim como uma futura mamãe precisa de vários profissionais para apoiá-la (ginecologista, obstetra, doula, enfermeira obstétrica, anestesista etc.) durante o nascimento do seu filho, você também precisará para publicar seu livro.

Além dos revisores, outros profissionais são importantes.

  • um diagramador, que organizará o seu texto para que ele proporcione ao leitor uma leitura fluida e agradável.
  • um capista, que criar uma capa atraente e vendável.
  • um ilustrador, para enriquecer o texto com arte. Este profissional é muito requerido nas edições de livros infantis e infanto-juvenis.
  • um bibliotecário, para emitir o ISBN e criar a Ficha Catalográfica, que será usada nas livrarias e bibliotecas.
  • um programador e um web designer, que desenvolverão o seu website ou blog onde você poderá divulgar sua obra e vendê-la.
  • um especialista em tráfego pago, que configurará links para atrair seu público-alvo para suas redes sociais e/ou website.

Observação: as editoras se responsabilizam por disponibilizar estes profissionais, caso você opte por publicar seu livro por uma. Mas se você vai publicar seu livro de forma independente, então, a responsabilidade de encontrar esses profissionais é sua.

Uma boa notícia: eu posso ajudá-lo(a) nesse processo. Além de eu mesmo realizar várias das tarefas acima, eu faço parte de uma equipe de profissionais qualificados que poderão cuidar de toda essa parte para você. Entre em contato, peça um orçamento.

Dica nº 3 – Construa sua própria reputação

Editoras amam autores que possuem reputação e, para elas, isso significa “audiência”.

Audiência é a quantidade de pessoas que admiram o seu trabalho ou que gostariam de conhecer mais sobre o que você tem a dizer.

Se você já é famoso, a sua biografia com certeza pode vender muito e as editoras cobiçarão o seu texto.

Mas nem tudo está perdido, se você ainda não tem audiência. Você pode alcançá-la, se você souber construir a sua reputação.

E como fazer isso?

Uma das maneiras de trabalhar bem e aumentar sua reputação é adquirir autoridade sobre um determinado assunto. Sendo assim? Fica a pergunta: em que você é bom? O que você sabe que pode auxiliar as pessoas que precisam saber o que você sabe? Qual é o seu diferencial?

Dedique-se a trabalhar sobre estas respostas e construa sua reputação sobre elas, tornando-se autoridade no assunto que domina.

Dica nº 4 – Entenda que livro não é um produto qualquer

Não pense que você vai conseguir vender seu livro como se fosse um pacote de açúcar. Livros não são produtos de primeira necessidade e ninguém é obrigado a comprá-los. Livro é cultura e, infelizmente, hoje em dia, muitas pessoas não se interessam por adquirir conhecimento através de livros. Vivemos em um mundo de facilidades, comodismos e pressa. Ninguém tem mais tempo para ler um bom livro. Preferem assistir a um filme na Netflix ou ver stories no Instagram, que é rápido e engraçado.

Por isso, como escritor, você precisará “vender seu peixe” mostrando que o conteúdo dele é transformador, e é o que seu leitor realmente precisa para se tornar quem ele deseja ser.


É possível ensinar a um escritor o seu ofício? A questão é polêmica, especialmente quando proliferam cursos de graduação e de extensão com essa proposta. Escritora e crítica literária, Francine Prose defende que sim, há muito o que aprender com os mestres. Virginia Woolf, Jane Austen, Nabokov, Philip Roth e Flaubert são alguns dos autores a quem dedica uma leitura atenta e cuidadosa em busca do segredo do ?escrever bem?. De cada um extrai valiosas lições. Uma obra indispensável para escritores iniciantes e leitores inveterados! E mais:? A edição brasileira conta com acréscimos de Italo Moriconi, que analisa a obra de mestres como Drummond, Machado e Graciliano.? Duas listas de livros para você ler imediatamente, preparadas por Francine Prose, com escritores estrangeiros, e Italo Moriconi, com autores nacionais.? Best-seller e Livro Notável de 2007 do New York Times.? “Esse guia para a leitura e a escrita deve ter um lugar na estante de todo escritor…” – Publishers Weekly? “Para ler como um escritor proporciona uma espécie de viagem visceral por obras-primas da literatura. Tem tudo de manual, de guia, de livro-texto orientado para quem está na posição de escritor aprendiz ou iniciante, assim como para quem deseja perceber a literatura com os olhos livres do escritor e não com as lentes grossas do intelectual ou do ideólogo acadêmico”.? – Da apresentação de Italo Moriconi


Dica nº 5 – Faça novos amigos todos os dias

Ter uma grande lista de contatos lhe confere grande poder, principalmente, quando esta lista é “quente”, ou seja, quando seus contatos estão interagindo com você.

Para ter uma lista que seja bem interessante você precisa alimentá-la todos os dias, por isso, abra-se a estabelecer novos relacionamentos e a fortalecer os já conquistados.

Você pretende ser um escritor de ficção? Então, busque referências para criar sua história. Seja um observador de pessoas. Acostume-se a fazer perguntas. Ouça atentamente o que as pessoas têm a dizer. Pessoas amam ser ouvidas.

Você quer escrever obras de não-ficção? Então, aproxime-se de pessoas que amam o assunto que você quer expor em um livro. Aprenda com elas, troque “figurinhas”. Quando você for publicar um livro, elas vão querer conhecer o seu texto.

Dica nº 6 – Alimente suas redes sociais

Para trabalhar o item anterior, um dos mais eficazes meios atualmente são as redes sociais, pois nelas você pode encontrar pessoas que estão interessadas nos mesmos assuntos que você, e ainda pode mostrar a elas que você domina o assunto. Por isso, aproveite esses canais de interação e estabeleça conexões.

Dica nº 7 – Registre-se em vários canais de vendas

Além das redes sociais, hoje em dia a internet nos oferece portais incríveis que facilitam nosso trabalho de exposição e de venda.

Existem muitos sites que nos permitem mostrar o nosso trabalho. São verdadeiras estantes virtuais, prateleiras de mercados virtuais. Em muitas delas, você pode se registrar gratuitamente e apresentar seu trabalho, sua obra e vendê-las. Elas cobram taxas sobre as vendas, então, é só você incluir estas taxas no valor final de venda do seu produto.

Em outro artigo pretendo explorar mais este assunto, revelando, inclusive, alguns canais que conheço e utilizo.

Dica nº 8 – Tenha seu próprio website ou blog

Como eu já disse, as redes sociais são atualmente um espaço privilegiado para interações com o mundo todo, mas elas apresentam um grande problema: não se tem total controle sobre elas.

Sim, não é você quem manda no algoritmo que rege essas redes e nem em suas decisões corporativas. Portanto, a qualquer momento, todo o seu trabalho pode ir por água abaixo, se o algoritmo ou um recurso com o qual você está acostumado mudar e você deixar de ter o alcance que precisa.

Sendo assim, o melhor a fazer é ter o seu próprio website ou blog, Como proprietário do domínio e administrador do conteúdo, é você quem controla tudo. Além disso, contratando um bom web designer, você terá sua página de internet com um layout totalmente personalizado, ou seja, com a sua cara.

Dica nº 9 – Publique antes um e-book

Um e-book é um livro digital. Na maioria dos casos, é um PDF que pode ser distribuído ou vendido.

A grande vantagem do e-book é que ele não requer ser impresso nem remetido pelos Correios. Ele pode ser enviado facilmente por e-mail, por Whatsapp ou baixado a partir de uma página de venda ou de divulgação.

Eu, particularmente, gosto muito da ideia de oferecer uma “degustação” literária gratuita, ou seja, um e-book com um resumo do texto, sendo ele não-ficção, ou os dois primeiros capítulos, sendo uma ficção. Isso faz com que o leitor conheça o trabalho e se interesse por adquirir o texto completo.

O e-book de degustação serve também para esquentar uma lista de contatos ou como isca digital para atrair novos leitores.

Dica nº 10 – Perca o sapatinho de cristal na escadaria

Lembra da história da Cinderela? Foi por causa do sapatinho de cristal perdido por ela na descida da escadaria do palácio que o príncipe conseguiu encontrá-la… e os dois viveram felizes para sempre!

O que pode ser o seu sapatinho de cristal para que seus potenciais leitores o encontrem?

O que eu quero dizer com esta pergunta? Resposta: provoque a busca; suscite no seu leitor o interesse em conhecer a sua obra. E para isso, estude-o e descubra o que ele deseja, mesmo sem saber que precisa, e então ofereça a ele.

Concluindo as dicas para publicar um livro

Aqui estão dez dicas. É claro que existem outras, mas eu gosto muito dessas e penso que elas por si só já fazem um bom trabalho.

Minha última sugestão é: faça perguntas a você mesmo. Descubra o que pode ser o seu “sapatinho de cristal”. Crie uma estratégia de aproximação e abordagem ao seu leitor. Estabeleça vínculos. Aprenda tudo que você puder sobre o assunto que lhe agrada e transmita-o com alegria e autoridade.

Muitos escritores que não atentam para essas informações quando resolvem publicar um livro e depois se frustram com eles encalhados em casa. Acredito que você não vai querer passar por isso, não é mesmo? Então, desde já, comece o seu trabalho.

Sucesso!

Veja também este conteúdo: Por que publicar um livro?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima